terça-feira, 30 de junho de 2009

Iniciando a CAMPANHA:



QUE FILHOS VAMOS DEIXAR PARA O MUNDO?



Os responsáveis pela educação
Carolina Obem Ferraz


Não culpo as crianças nem os adolescentes por serem mal educados, nem por serem preconceituosos ou maus. Não os culpo. Culpo os adultos.
Os adultos sabem, ou pelo menos deveriam saber, o que é certo e o que é errado. E é, sim, culpa deles de os pequenos não saberem. A culpa é deles porque não ensinam.
Os adultos não ensinam as crianças a dar lugar no ônibus, a não furar filas, a não bater portas, a esperar saírem do elevador para depois entrar, a segurar uma porta para dar passagem a alguém, a agradecer por mínimos e grandes gestos. Não ensinam a ouvir, a esperar sua vez de falar nem a cumprimentar as pessoas. Não ensinam que existem regras de boa convivência na sociedade e é por isso que as pessoas estão cada vez mais frustradas.
Mas não ensinam por quê? Por que não são bons pais? Por que não são bons professores? Por que não são bons cidadãos? Por que não querem? Por que estão cansados do mundo? Todas essas perguntas são cabíveis. Em minha opinião, eles, os adultos, não ensinam porque não lhes foi ensinado.

Minha avó caiu no ônibus São Leopoldo – Porto Alegre pois passou a viagem inteira de pé. Você pode imaginar por qual razão uma senhora de 70 e poucos anos ficou mais de 40 minutos em pé. Sim, é isso mesmo que você está imaginando: ninguém cedeu seu lugar a minha avó. Eu não sei quantas vezes fui “quase-atropelada” na faixa de (in)segurança. Entrou um ladrão no meu prédio, pois algum morador deixou a porta de entrada aberta, sem chavear, só encostada, semi-aberta.

Ninguém segura o elevador nem as portas. Ninguém apaga a luz do cômodo que fica vazio., nem arruma as cadeiras, nem coloca o lixo no cesto... as pessoas estão sempre com pressa! Uma pressa absurda que as leva ao nada. E essa pressa e essa falta de educação estão me deixando cansada das pessoas, cansada de ser educada.

Todos nós sabemos, e dizemos de boca cheia, que a educação começa em casa. E não, não adianta você dizer como seu filho/aluno deve agir. Você deve agir a fim de que seu filho copie seus atos. Os adultos são modelos e, conseqüentemente, os professores são modelos. E como não forma de excluir coisas inúteis do currículo para espremer no cronograma uma disciplina que eu denominaria “Educação”, cabe aos professores darem o exemplo para tentar reduzir o caos.
O prô de Matemática poderia ensinar que é legal facilitar o troco. O de Ed. F. poderia trabalhar a motricidade em favor da boa postura, do lado certo de andar nas escadarias. O de Física ensinaria, a partir da lei de que dois corpos não ocupam um mesmo lugar no espaço, que primeiro saem as pessoas para depois entrarem outras, do mesmo modo que não se entende nada quando falamos todos ao mesmo tempo. O de Artes poderia falar da mídia, a fim de desenvolver um pensamento crítico sobre a TV, a Internet e as propagandas. O de Língua ensinaria tudo que lhe fosse possível a partir de textos. E assim por diante.
O que importa agora é o que você leitor, vai fazer para ajudar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário